sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Os dias tem passado.As horas tem sido contadas.As ondas ainda surgem naquele mar.As risadas ainda aparecem.Os suspiros ainda são apaixonados.Os passos ainda são reais,um pé de cada vez...As conversas desapareceram.A sua voz sumiu do que um dia me fez exasperada.Seu rosto virou um rascunho,borrado,irreconhecivel.Seus olhos são de um estranho.Sua risada de um desconhecido.Suas expressões de uma época perdida...Meus sentimentos ainda me confundem.O peso no peito ainda me pertence.Meu coração ainda esta jogando.Aquele medo antigo ainda não evaporou.A saudade ainda existe.Você ainda não me some de vista.As memórias ainda são meu passado,minha história.E toda vez que digo adeus,você volta de alguma forma.Sem pedir,sem avisar.E me encontro cercada,por entre momentos e sentimentos que andam em vai-e-vem.Eu fico confusa,eu fico assustada,eu grito em silêncio,choro em seco,eu brigo para manter o controle,eu luto comigo mesma,numa batalha ja perdida...O tempo passa tão rápido.Tem passado tão rapido.E pensar no que está por vir,me relembra aquela velha insegurança,escondida no escuro de um segredo.Meus olhos me distraem do que realmente deveria importar.Os sons tapam meus ouvidos ao que deveria entender.O murmurro constante cobre as palavras que minha boca deveria dizer.E não poder escolher o que sentir me frustra.Esqueço do que importa.Assisto aquele filme,onde o beijo me traz frio na barriga.E os contos de fadas se recriam.Contos que precisam ir embora,mas sempre de alguma forma,fazem o caminho de volta.Porque tudo, sempre,no final,por mais que me esforce,me faz voltar ao começo.Me faz voltar a você. E isso,só o tempo pode mudar.

3 comentários:

Querido Diário Otário disse...

Ah, adorei o texto, o blog, muito legal.
Obrigada pela visita, volte sempre querida (;

Beijos e sucesso'

May Carvalho ჱܓ disse...

"Contos que precisam ir embora,mas sempre de alguma forma, fazem o caminho de volta"

Eu tento me libertar, mas é como se eu estivesse em um esteira, corro e corro mas não saio do lugar... Minha esperança ainda é o tempo. Ele não cura nada, mas faz esquecer...

Amei aqui, beijos ;*

>Lia disse...

Carolitcha!
Eu já tinha visitado seu blog, mas por alguma razão esqueci de comentar... Ah, é! Porque eu fiquei empolgada e fui fazer o meu!
:*