sábado, 3 de janeiro de 2009

The cold hard Truth

Das cartas que não te entreguei.Dos discurssos que só treinei.Das lágrimas que me frustraram quando se derramaram contra minha vontade.Da força que tentei encontrar quando tudo o que desejava era deixar o tempo tocar e consertar a ferida que não cicatrizava.Que não cicatriza.
Já não existe mais a certeza de que o acaso irá me proteger, enquanto eu andar distraida.Eu brinquei de ser gente grande no momento em que desejava colo de mãe.Acabei por crescer quando tudo o que mais queria era somente mais um conto de fadas.Eu criei uma história que hoje quem conta são meus olhos.Não consigo achar voz para dizer o que preciso gritar.E em meio ao meu caos secreto,encontrei na música,meu refúgio.
Me prendi nas verdades que devia esquecer.Menti a mim mesma diversas vezes.Só para no final relembrar que as ilusões machucam mais do que a realidade.Quis ser menina quando devia ser mulher.
Não sei mais como procurar nas palavras,resposta.Não sei fazer decisões sem pensar nos outros antes de mim mesma.Não sei separar os truques das armadilhas.Não sei deixar de perdoar.Não sei apagar uma mágoa antiga.Não sei ser garota,sem amar.E o problema é que queria.
Odeio ainda pensar tanto em você.Na volta de uma viagem,no tocar de um violão.Odeio sonhar com você,e nem em meus sonhos ser capaz de enfrenta-lo.Odeio a pessoa que se tornou.Sinto falta da que foi um dia.Odeio o modo como passou a tratar as pessoas.E como passou a me tratar.Odeio sentir saudades sua.
Nas tardes em que me permito pensar em você,me afundo em memórias.Deixo tocando a mesma música,hora após hora.É ela que deixa tudo mais difícil.E seu nome.A única coisa que continuou intacta da pessoa que você foi um dia.A única coisa que não mudou.Que você,não mudou.
Eu te amei.É a primeira vez que admito isso,até para mim mesma.Todos dizem como sou nova e não sei nada sobre isso,nada sobre a vida.E talvez eu realmente não saiba.Talvez isso seja só uma fase pela qual passei.Mas agora,no meu mundo,eu te amei.Desculpe nunca ter tido a coragem de lhe confessar.
Neste tempo em que nos tornamos estranhos encontrei, em mim,medos que nunca soube ter.Depois de você,descobri o medo de perder.E toda vez que alguém se distancia de mim,sinto medo de que ela suma da minha vida,do mesmo modo que você sumiu.Você me fez insegura.
Sei que parte de tudo isto é minha culpa.Desculpe ter ido embora sem antes lutar.
Chorei por você.Uma só vez.Mas isso nunca tinha me acontecido antes.E contar isso,parece ter me tirado um peso das costas.
Você esta desaparecendo.Não vejo mais aquele garoto que conheci na terceira série quando olho para você.O seu rosto está desaparecendo.Sua voz.Sua risada.Até seus olhos.E isso me assusta.
Agora,sigo em frente.Longe de você.Para Sempre.Desculpe se é disso que preciso para crescer.
Então,pronto.Esta dito.Registrado.Apesar de tudo,espero para você,o melhor.
Whatever will be,will be.
C.

3 comentários:

JehJK disse...

Segunda vez que leio esse texto. Ficou lindo, de verdade. E cara, que vontade de chorar! XD Cahh, de boa... EU TE AMO! XD

Maria Fernanda disse...

Dizer adeus, por melhor que isso vá te fazer, é sempre tão difícil...

Giovana Marconi disse...

ele não merece nada disso que vc escreve .. maais é sempre bom tirar esse peso das costas, e o ue tah intalado na garganta ..