segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Fogem de vista.Os planos,os projetos,as preocupações.Ter um tempo,para pensar.Ouvir aquela música,num momento onde mais nada importa.Deitava na cama,deixando as horas passarem como se fossem vento,frio,mas aconchegante.As dúvidas tortas se formam nos castanhos daqueles olhos,brilhando ao olhar para o nada,como se estivessem olhando para o mundo.Lá fora,os minutos correm em desespero tentando acompanhar os passos alheios de desconhecidos.Você não liga.Talvez depois disso,tenha mil coisas para fazer.Sabe que tem.Mas naquele momento o resto desaparece...Alguns chamariam isso de perda de vida,eu, chamo de tempo,para mim.O coração bate em ritmo com aquela melodia tão doce,que lhe sussurra calma.Sem mesmo perceber,sua boca acompanha aquele ritmo,nos murmurros que lhe deixam em sensação de paz.As letras formam as perguntas que tanto te questionam naquele momento...Até onde ir em nome do amor,de suas vontades?Até onde saberemos se o que fazemos é realmente o certo?Dúvidas que não precisam de respostas.Não naquele instante,pelo menos.As frases que fogem de você,te entregam a um mundo colorido,desenhado em lápis de cor,sublinhado pelos sonhos que você reserva somente para si...Seus pés,tocam o final da cama de modo constante,seguindo a linha que você vem traçando,sem elaborar,pela primeira vez,o significado daquilo.As fotos na parede trazem um sorriso de criança,que ainda a pouco,havia se perdido.Inocente,sem malícia.Seus ouvidos estão mudos ao que acontece por entre buzinas e fumaças.Aos barulhos que trariam de volta a sua rotina,sua realidade,permitindo escutar somente a brisa batendo nas árvores.As mãos brincam com os lençois,admirando sua testura,e sem mais nem menos,de repente,sente uma vontade louca de rir.Soltar gargalhadas.Quando seus pensamentos,trouxeram como memória,aquela história em especial.Tudo passa por você como se estivesse sendo rodado em filmes,e a lágrima tão desejada cai.Uma única gota,e nada mais.Não sabe se é de felicidade ou tristeza.Provavelmente ambas.E não se importa em tentar descobrir...Novamente,alguns chamariam isso de idiotice sem razão,eu,chamo de lembrança...Fogem de vista...em algumas situações,isso,é exatamente o que precisamos.Tempo,para pensar.

Um comentário:

Maria Fernanda disse...

Até onde saberemos se o que fazemos é realmente o certo?

tenho pensando nisso faz dias.