quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Não tenho palavras.Simples assim.Não consigo mais forma-las como uma vez consegui.Não consigo mais pensar como uma vez consegui.Mudei.Os amigos não são mais os que uma vez tive.São melhores.A dor não me consome mais,como uma vez o fez.O tempo não me apressa,não me assusta.E me pergunto se você sabe o quanto significou para mim.Naquele tempo,que hoje parece tão velho.Porque não importa se as frases entre nós foram perdidas,e as memórias esquecidas.Não importa se ao olhar para você aquele sentimento de antes ja não existe mais.Simplesmente não importa.Porque de repente me pego pensando se você sabe.Se você sabe o quanto me fez rir,o quanto me fez querer passar a semana toda na cama.Se sabe como me fez amar.De um modo que não sabia ser possível.De um modo que tirou a ár de minha boca,e que só agora começo a retomar.Um ár que me trouxe o medo.Medo de não ser capaz de recupera-lo.Medo de nunca toma-lo de volta.Porque você não está mais ao meu lado a muito tempo.Porque aqueles momentos que amei,aquele menino,por quem uma vez fui apaixonada,disse adeus,sem qualquer despedida.Sem me dar tempo de me preparar,e ficar pronta.E ainda assim me pergunto se você sabe o quanto significou para mim.E este é o unico modo com o qual consigo lhe dizer,pela falta de coragem que ainda tenho,pelas barreiras que ainda precisam ser derrubadas até poder ser franca com você novamente.Você um dia foi o mundo.Você um dia, foi a razão de levantar pela manhã e ter forças.Você um dia foi meu melhor amigo.Você um dia foi o meu primeiro pensamento ao acordar e último ao dormir.Você um dia foi meu desespero.Você um dia,foi aquele que ao sorrir,esquentava meu coração.Você foi um dia,quem me fez perder o controle...Me pergunto se sabe o quanto significou para mim.E já tenho a resposta.Acho que na verdade sempre tive.Só não queria ver,acreditar.Porque no final,você não me ensinou a superar,não me ensinou a te esquecer.E sozinha,fui capaz do que nunca achei possível.Ganhei de volta o que perdi.Meu coração.

Um comentário:

Maria Fernanda disse...

Essas palavras. Sempre as palavras...